Confira como votaram os deputados paraibanos na PEC do voto impresso

O plenário da Câmara dos Deputados rejeitou hoje proposta que pretendia incluir um módulo de voto impresso ao lado das urnas eletrônicas a partir das eleições de 2022. A PEC do voto impresso (Proposta de Emenda à Constituição 135/19) teve 218 votos contra, 229 votos a favor e uma abstenção. Para que a tramitação avançasse, eram necessários votos favoráveis de 308 dos 513 congressistas. Entre os votos paraibanos, três foram favoráveis à PEC: Julian Lemos (PSL) e os tucanos Edna Henriques e Ruy Carneiro.

Quatro deputados constituintes paraibanos, Aguinaldo Ribeiro, Efraim Filho, Hugo Motta e Wilson Santiago não participaram da votação. Foram contrários à PEC, Damião Feliciano, Frei Anastácio, Gervásio Maia, Pedro Cunha Lima e Wellington Roberto.

De autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF), a PEC era de interesse do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e foi rejeitada no dia em que o Ministério da Defesa realizou um desfile militar no Planalto – criticado por políticos, que viram o ato como uma tentativa do presidente de intimidar deputados.

A inclusão do assunto na sessão de hoje só aconteceu por vontade do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado do governo. O resultado da votação representa uma derrota para Bolsonaro, ao enterrar a proposta que alimentou os crescentes ataques do presidente a integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Lira considerou que o assunto do voto impresso está “encerrado”. “Mas, ao final, o resultado da PEC não alcançou o quórum específico para sua aprovação. Ela vai ao arquivo, e com respeito à Câmara dos Deputados, esse assunto está, neste ano, com esse viés de constitucionalidade, encerrado”, disse.

Fonte: Com UOL

Compartilhar