Mulheres trans denunciam crime de transfobia praticada em pizzaria na Paraíba

Duas mulheres trans prestaram queixa na madrugada de hoje (13), na Central de Polícia Civil de João Pessoa para denunciar que foram agredidas dentro de uma pizzaria na orla de João Pessoa. Elas relatam que foram vítimas de transfobia. Conforme Marianna Pontes, 23 anos, uma das que teriam sido agredidas, relatou em Stories no IG que ela estava com mais dois amigos no Rodízio do Paulista Pizzaria, quando um casal que estava ao lado chamou o garçom e o homem perguntou se as pessoas na mesa se tratavam de “travecos”.

Mariana narrou que a amiga dela, Evellyn Eduarda, 25 anos, se sentiu constrangida e jogou um copo de refrigerante no rapaz. Neste momento que começou a discussão e teria havido agressão. As mulheres trans e um jovem de 26 anos denunciaram o fato à Polícia Civil. O grupo foi levado para a exame de corpo de delito no IPC da capital por lesão corporal.

O IG do Hyldinho entrou em contato com a pizzaria e foi informado que “foi uma briga entre clientes” e que estaria procurando as versões dos fatos.

O proprietário, segundo a pizzaria, está em um curso em Minas Gerais e deverá se posicionar sobre o ocorrido assim que os fatos forem apurados. Sobre o fato do suposto agressor ser filho do proprietário, a pizzaria se limitou a dizer que o dono tem 35 anos e o filho dele tem 4 anos.

O espaço fica aberto para outros esclarecimentos. O caso será investigado pela Delegacia de Crimes Homofóbicos de João Pessoa. Homofobia e transfobia são crimes no país e podem dar de 3 a 5 anos de prisão, de acordo com Supremo Tribunal Federal em 2019.

Compartilhar