Repórter é agredida e chamada de vagabunda por bolsonaristas que aguardavam chegada de Ministro da Saúde a Paraíba

Cerca de cinco manifestantes bolsonaristas, presentes na visita da primeira-dama Michelle Bolsonaro a João Pessoa, nesta sexta-feira (13), onde cumpre agenda ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, hostilizaram profissionais de imprensa da capital.
Um deles chegou a chamar as repórteres Sandra Macedo, da Correio 98 FM, e Iracema Almeida, do Jornal ‘A União’, de “vagabundas”. Outros profissionais da imprensa que estiveram no local reagiram aos insultos.
Michelle acompanhará o chefe da pasta da saúde nacional na assinatura da ordem de serviço para construção do Hospital de Doenças Raras, no bairro dos Bancários e, em toda a sua passagem, negaram-se a falar com os profissionais da mídia estadual.

A Associação Paraibana de Imprensa repudiou os ataques a jornalista e reforçou defesa da liberdade de expressão

A Associação Paraibana de Imprensa vem a público repudiar veementemente episódios de ataques a jornalistas nesta sexta-feira, 13, em João Pessoa, durante passagem da primeira-dama, a senhora Michele Bolsonaro. Os ataques verbais, que por pouco não evoluíram para agressões físicas, partiram de militantes apoiadores do presidente Bolsonaro, principalmente direcionados a duas jornalistas mulheres, Iracema Almeida, do Jornal A União, e Sandra Macêdo, da rádio 98 Correio FM. Os xingamentos, além de ataques a liberdade de imprensa, são considerados machista e sexista.
Externamos, de forma destacada, nossa total solidariedade às excelentes jornalistas, que prestam um serviço ímpar para a imprensa paraibana. Trabalharemos para que todas estejam seguras em seus papéis de suma importância junto à sociedade deste estado.

Com informações do Polêmica Paraíba

Compartilhar