Idosa recebe alta após 104 dias internada por complicações da covid-19, na Paraíba

Uma idosa de 63 anos recebeu alta, na tarde dessa segunda-feira (30), do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, hospital referência em Covid-19 na Paraíba, onde estava internada há 104 dias, devido à infecção causada pelo coronavírus. Maria das Graças Laureano Lima é hipertensa e diabética, comorbidades que dificultaram, mas não impediram a sua recuperação. 

Durante os mais de 100 dias em que esteve internada no Clementino Fraga, uma equipe multiprofissional acompanhou-a com cuidados diários. Somente na Unidade de Tratamento Intensiva (UTI), ela ficou internada 2 meses e 20 dias. O médico intensivista Carlo Endrigo, que liderou a equipe que atuou na reanimação de dona Maria das Graças, durante três paradas cardíacas que ela sofreu relatou qual o sentimento teve nestas ocasiões: “A mesma sensação que eu tive quando eu saí da internação de Covid. A sensação é de reviver. É o nosso pagamento saber que a gente cumpriu nossa missão, fizemos o que tinha que ser feito e deu tudo certo. Mais uma vida salva. A luta contra Covid-19 sempre foi muito difícil”. 

Pelo tempo em que dona Maria das Graças ficou internada laços afetivos foram criados entre a equipe e a paciente. A equipe da UTI e da enfermaria decidiu homenageá-la na saída da enfermaria. Dr. Endrigo fez questão, inclusive, pedindo licença ao maqueiro, de ele mesmo empurrar a cadeira de rodas na qual ela se encontrava até a porta de saída do hospital, onde a família dela aguardava ansiosa pelo reencontro. 

Dona Maria das Graças estava feliz em ir pra casa, mas com saudades dos amigos que fez no Clementino: “De doutor, a enfermeira, o pessoal da faxina todo mundo me tratou muito bem. Estou feliz de estar indo embora, mas fico com saudades de todos”, declarou. Antes de sair, ela fez questão de convidar seus cuidadores para um almoço, assim que a pandemia acabar. O cardápio da ocasião já está pensado: galinha caipira e feijão verde.

Compartilhar