Campina Grande estuda retomar barreiras sanitárias após liderar casos da variante Delta

Após registrar o maior número de casos da variante indiana Delta da Covid-19 na Paraíba, a gestão do município de Campina Grande revelou que estuda retomar as barreiras sanitárias para evitar o aumento de diagnósticos. Ontem (31), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que em amostras analisadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 25 casos da variante foram detectados, espalhados por 12 municípios paraibanos, e nove são na cidade.

O primeiro caso da variante foi de paciente do sexo masculino, de 23 anos, morador do município, que teve início dos sintomas no dia 15 de julho. Ele não apresentou histórico de viagem ou contato de caso confirmado para a Delta.

Nesta quarta-feira (1), o secretário de Saúde da cidade, Filipe Reul, se reúne com a Vigilância Sanitária para discutir a medida. De acordo com a pasta, as fiscalizações para garantir o cumprimento das medidas sanitárias serão intensificadas e realizadas com o apoio do Procon municipal e outros órgãos.

Nas redes sociais, o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD) comentou que o momento é de atenção para evitar o aumento de internações e casos pela variante, que é mais transmissível e tem maior probabilidade de atacar o sistema imunológico, que defende o nosso organismo.

“Evitar aglomerações, fazer o uso correto da máscara e higienização constante das mãos – unido ao avanço do processo de vacinação – continua sendo o caminho para vencermos esse desafio. Cada um fazendo sua parte, cuidamos do todo e de todos. Deus nos abençoe!”, publicou.

Com informações do Paraíba Já

Compartilhar