Falso pastor investigado por estupro de criança em Lagoa Seca é preso na Operação Iscariotes

A Polícia Civil, através da Delegacia de Lagoa Seca, deflagrou na data de hoje a Operação Iscariotes, visando diligenciar e prender um homem de 34 anos, investigado por praticar estupro de vulnerável contra uma menina de 11 anos de idade, fato ocorrido na cidade de Lagoa Seca, no Sítio Floriano. O homem apareceu na cidade pouco depois do início da pandemia se passando por “pastor evangélico” e informou ter tido uma visão de Deus de que deveria ir para a cidade de Lagoa Seca evangelizar.

Acolhido por uma família da localidade, diante do relato sobre ser pastor e não ter onde morar, um homem construiu um pequeno quarto nos fundos da casa para ajudá-lo.

Mais tarde, ganhando a confiança da família e ajudando com as tarefas escolares das filhas da família que o acolheu, o homem acabou por praticar abuso sexual contra a menina de 11 anos de idade, a qual depois relatou como tudo ocorreu, inclusive sobre o estupro e as ameaças sofridas.

O crime só foi descoberto porque uma pessoa que se disse parente do homem entrou em contato com a família e disse que ele havia fugido do Rio Grande do Norte por ter abusado de uma menina, o que despertou a atenção da família, que o retirou imediatamente do local.

O investigado chegou a conseguir entregar um aparelho celular escondido para a vítima e se comunicar com ela, pedindo fotos íntimas, o que reforça sua personalidade voltada para crimes de pedofilia.

Nesta quinta-feira (16), a equipe da Polícia Civil da cidade de Lagoa Seca, sob o comando do DPC Eduardo Almeida, que representou pela prisão preventiva, deu cumprimento ao mandado de prisão na própria cidade e o homem responderá pelo crime preso, devido à gravidade dos fatos, sua periculosidade e possibilidade de fuga. A operação recebeu o nome de Iscariotes devido a dissimulação e traição do homem para com a família que o acolheu.

Compartilhar