Fiação exposta, extintor vencido, alimentos sem procedência e aglomeração motivaram interdição de igreja da pastora Renallida

Um série de irregularidades levaram à interdição da Igreja Pentecostal Tempo de Milagres, localizada no bairro Jardim América, em Cabedelo, na noite desta quarta-feira (15), dia da sua inauguração. 

De acordo com a Vigilância Sanitária da cidade, o órgão recebeu denúncias no início da tarde e notificou aos proprietários do local sobre o que deveria ser feito para que acontecesse o culto. 

Já durante a noite, juntamente com a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, foram feitas fiscalizações na igreja, onde constataram que não tinham realizado o que havia sido solicitado.

“Além de muita aglomeração na entrada da igreja, o que mais nos preocupou foi a fiação exposta. Os quadros de energia todos sem tampa, fio terra no chão com criança por perto, o local sem certificado do Corpo de Bombeiros e extintor vencido. A gente também percebeu que tinha uma venda de lanches sem procedência, sem licença sanitária. Então, realmente não tinha como acontecer o evento”, disse Manuela Gernoblio, diretora do órgão.

Após a interdição, que deve durar até que a situação seja regularizada, a pastora Renallida Carvalho realizou o culto a céu aberto na praia de Tambaú, em João Pessoa. A pregação foi transmitida ao vivo nas redes sociais. A pastora chegou a prometer curas milagrosas durante orações e afirmar que os fiéis não “precisam ir ao médico” nem “fazer quimioterapia”.

Fonte: ClickPB

Compartilhar