Arco Metropolitano de Campina Grande avança e já tem cerca de 70% das obras em execução

s obras do Arco Metropolitano Leste de Campina Grande estão avançadas e já contam com cerca de 70% dos serviços em execução, devendo ser concluídas no primeiro semestre de 2022. Com extensão total de 6,42 km, a obra vai oferecer mais segurança aos seus usuários e moradores da área beneficiada e melhorar o tráfego de veículos na região metropolitana da cidade.  O investimento, com recursos próprios do Tesouro Estadual, é superior a R$ 17 milhões.

Executado pelo Departamento de Estradas da Paraíba, por meio da construtora Cosampa Projetos e Construções Ltda., o Arco Metropolitano é considerado uma das grandes obras de mobilidade em Campina Grande e vai beneficiar, diretamente, a região metropolitana da cidade e cerca de 650 mil habitantes.

De acordo com o gestor do DER, engenheiro Oduwaldo Andrade e Silva, os serviços estão em ritmo acelerado, “lembrando que temos execução em cortes e aterros, desmonte de rochas, implantação do sistema de drenagem para escoamento de águas pluviais, construção de um viaduto sobre a BR-104, pavimentação em CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente), sinalização horizontal e vertical, colocação de defensas metálicas, iluminação pública, paisagismo e recuperação de áreas degradadas”.

Com uma via de 16,5 metros de largura, inclusive calçadas, meio-fio, linha d’água, pista de rolamento, acostamentos e ciclovias, o Arco vai interligar a BR-230, BR-104 e PB-095, retirando o tráfego de longa distância do centro da cidade, principalmente caminhões pesados. Além disso, vai ordenar o tráfego na zona central de Campina e melhorar a mobilidade urbana, reduzir o tempo de deslocamento das pessoas e os índices de acidentes de trânsito, como também promover o desenvolvimento e elevar a qualidade de vida da população regional.

Ao falar sobre a obra, o topógrafo do DER, Luiz Carlos, que acompanha os trabalhos, diariamente, revela que uma das dificuldades para abertura do trecho é a grande quantidade de pedras existentes em toda sua extensão. “Os trabalhos são executados dentro do cronograma traçado, inclusive a perfuração de rochas para explosões com dinamite e retirada das pedras. A Cosampa, empresa de engenharia responsável pela obra, tem uma jornada de trabalho de 12 horas ou até mais, diariamente, visando cumprir o cronograma traçado pelo DER”, afirmou.

João Severino Batista, morador da região por onde passa o Arco, disse que o empreendimento do Governo João Azevêdo, “com certeza, deixa toda a população de Campina Grande muito feliz, principalmente porque vai desafogar o trânsito pesado por dentro da cidade, além de facilitar o tráfego de veículos que se destinam a outras cidades do Estado”.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *