Estudante e motorista de aplicativo foi morto por estrangulamento e inalação de fumaça

Laudo do Instituto de Polícia Científica (IPC) aponta que a morte do jovem Daniel Vitor Cavalcanti Brito, de 21 anos, encontrado dentro de uma carro em chamas, em Campina Grande, ocorreu por meio físico-químico, quando há o uso da força física junto com a aspiração da fuligem da fumaça.

O diretor do IPC, Márcio Leandro, afirmou que o jovem sofreu uma tentativa de homicídio por estrangulamento com corda, fita ou cordão. Ele ficou inconsciente no banco de trás do carro e com as chamas do incêndio que foi provoado, o jovem aspirou fumaça e morreu. O laudo ainda aponta que houve luta corporal.

A Polícia Civil investiga o caso, e tenta localizar suspeitos pelo crime. Populares encontraram o jovem morto na noite da segunda-feira (27), no bairro das Malvinas, em Campina Grande.

Daniel era estudante de engenharia e trabalhava à noite como motorista de aplicativos.

Fonte: PBAgora

Compartilhar