Campina quer justiça para latrocínio de motoristas por aplicativo; duas suspeitas estão foragidas

Dois crimes, dois jovens que trabalhavam de forma digna, tinham sonhos e estavam no começo de suas vidas. Famílias em choque com a perda precoce de filhos, amigos, sobrinhos. Esta foi a marca dos latrocínios ocorridos no dia 27 e 31 de dezembro do ano passado. No primeiro assassinato, o estudante de Engenharia Civil, Daniel Vítor, de apenas 21 anos foi vítima de um casal criminoso que se passou por passageiro para praticar um roubo e o mataram de forma cruel. Um dos suspeitos foi preso, mas a mulher está foragida.

No segundo latrocínio, o jovem Ewerton Albuquerque, de 25 anos, foi chamado para uma corrida que também o levou à morte. A passageira, uma travesti que matou o motorista com três golpes de faca, segundo informações do próprio rapaz que antes de morrer ainda conseguiu ligar para casa dizendo ter sido vítima de um assalto e que havia sofrido as facadas de uma travesti.

Atualmente a Polícia Civil tenta prender as duas suspeitas pelos crimes, a primeira identificada como Pâmella Nicoly Brito da Silva (esq. da foto) e a segunda como Jessy (dir da foto). Para dar informações sobre o paradeiro ou pistas que levem ás suspeitas é preciso ligar para o o Disque-Denúncia 197. O sigilo é garantido.

Compartilhar