Print mostra que houve até convocação para Dia D de vacina para crianças em Lucena; MPF ouvirá prefeito hoje

Após a imunização irregular de crianças em Lucena com doses destinadas a adultos e fora da validade, mais denúncias começaram a vir à tona nesta segunda-feira (17). O ClickPB teve acesso ao print de um grupo de WhatsApp denominado “Agente de Saúde” em que há a convocação para o “dia D de vacinação para crianças de 5 a 11 anos de idade”.

A mensagem teria sido enviada pela agente de saúde que atende a comunidade Oiteiro de Miranda, em Lucena. A mensagem enviada para o grupo foi de que: “Sexta feira dessa semana averá o dia D de vacinação,para crianças de 5 a 11 anos de idade. Vacina de covid-19” (sic).

Logo depois, uma pessoa pergunta se haverá aplicação de segunda dose da Pfizer e recebe uma resposta afirmativa.  No dia 7 de janeiro, uma sexta-feira, teriam sido vacinadas crianças e adolescentes na comunidade. Também há relatos de que outras crianças teriam sido imunizadas ainda no mês de dezembro, sem uma vacina adequada para a idade.

O caso está sendo investigado pelo Ministério Público Federal na Paraíba, que quer descobrir de onde partiu a ordem e a autorização para que as crianças fossem vacinadas contra covid-19 mesmo sem o imunizante adequado.  O MPF marcou para esta terça-feira (18) uma reunião para ouvir o prefeito de Lucena, Leo Bandeira, acerca da vacinação contra covid-19 em, ao menos, 60 crianças com doses vencidas no município.

A Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba constatou que 49 crianças com menos de 12 anos foram vacinadas irregularmente em Lucena. Sendo que 13 crianças receberam doses que estavam dentro do prazo de validade e 36 que não estavam, pois foram armazenadas em temperatura positiva há mais de 30 dias. Além disso, também foi constatado que cerca de 200 pessoas, entre adolescentes e adultos, tomaram vacinas fora da validade na cidade.

Logo após a denúncia de que as crianças haviam sido vacinadas com as doses erradas, a técnica de enfermagem que aplicou os imunizantes foi afastada do cargo. Nesta segunda-feira (17) o prefeito Léo Bandeira anunciou também a exoneração do Secretário de Saúde, Antônio Paulo. Também foram afastados dos cargos a enfermeira responsável pela unidade de saúde e a Chefe de Imunização do município.

Nesta terça-feira (18) Léo Bandeira é aguardado para uma reunião com o Ministério Público Federal, quando deverá prestar informações sobre o caso. Já foram ouvidas pelo MPF a agente de saúde, a técnica de enfermagem e a mãe de duas crianças que foram vacinadas de forma irregular.

Fonte: ClickPB

Compartilhar