Jornalista Chico Maria morre em Campina Grande aos 92 anos de problemas cardíacos

Morreu na madrugada deste domingo (13) o jornalista paraibano Chico Maria. Ele tinha 92 anos e, além de formado em Direito, era um dos mais conhecidos jornalistas do estado. Ficou conhecido a partir da década de 1970 por programas de TV em que entrevistava importantes personalidades políticas paraibanas e por um jeito irreverente e ácido de fazer perguntas incisivas. Passou pelas TVs Paraíba, Borborema e Cabo Branco.

Chico Maria estava internado num hospital de Campina Grande há pelo menos uma semana por causa de problemas cardíacos e, neste domingo (13), sofreu um infarto. Ele havia sido também diagnosticado com Covid-19, o que pode ter agravado o seu quadro de saúde.

Familiares informaram que não vai haver velório, justamente por causa do teste positivo de Covid-19. E que os parentes mais próximos vão acompanhar à distância o enterro.

Chico Maria também exerceu o seu lado jurista. Foi delegado de Polícia Civil antes de virar jornalista, mas foi no segundo ofício que se tornou famoso.

Primeiro no programa que levava seu nome, na TV Paraíba, depois no programa Confidencial, da TV Borborema, ambos de Campina Grande. Em 1988, estreou no programa Paraíba Meio Dia, da Rede Paraíba de Comunicação, que era transmitido em rede para todo o estado e seguiu até 2003. Nos três programas, se notabilizou pelas entrevistas com grandes personalidades da Paraíba e do Brasil.

Ao longo de mais de 30 anos, entrevistou todos os principais políticos do estado e nomes nacionais como Ariano Suassuna, Leonardo Boff, Pelé e dom Hélder Câmara.

Na manhã deste domingo (13), a Academia de Letras de Campina Grande, onde Chico Maria ocupava a cadeira 36, emitiu nota de pesar. A Associação Paraibana de Imprensa, pouco depois, também emitiu nota de pesar em homenagem ao jornalista.

A Prefeitura de Campina Grande decretou luto oficial de três dias.

Fonte: G1

Compartilhar