Estudantes de universidade particular de Campina inicia projeto de combate a Fake News

O UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Campina Grande, por meio do curso de Direito, está realizando um importante projeto para combater a disseminação das Fake News na internet. Iniciado dentro do âmbito da disciplina Direito e Carreira na Era Digital, estudantes do 1º período da graduação sugeriram propostas para impedir a circulação em massa de notícias falsas na rede. 

Com a proximidade das eleições no Brasil, as ações contra as Fake News serão de suma importância, e a Instituição vem dando a sua contribuição, oferecendo projetos que visem alertar a população sobre o problema. O coordenador do curso de Direito, Arthur da Gama França, que também ministra a disciplina em questão, destaca positivamente a ação. 

“Foram inúmeras ações sugeridas pelos estudantes, que, inclusive, são muito viáveis para serem colocadas em prática. É gratificante ver que eles (os estudantes) já têm em mente soluções para um problema tão sério, e será de suma importância, nas eleições desse ano. Parabenizo cada um deles e será um projeto que dará uma contribuição importante”, pontuou Arthur. 

Veja abaixo algumas propostas:  

Semana Verde 

A Semana Verde é uma ação sugerida para acontecer na semana anterior ao pleito eleitoral, visando conscientizar a população, especialmente nas redes sociais, sobre o perigo da disseminação das Fake News. 

“Não seja mais um” 

Segundo estudos do Kantar IBOPE Media, 99% do conteúdo consumido na Internet brasileira são vídeos. Uma das ideias é a criação de vídeos curtos para as plataformas sociais mais consumidas, com o intuito de orientar sobre a veracidade das informações compartilhadas, trazendo o lema “Não Seja mais Um”. 

Perfil Verificado 

Cerca de 99 milhões de brasileiros usam a rede social Instagram. Uma das propostas seria sugerir a plataforma a criação de um perfil verificado, pela própria rede social, que pudesse combater a disseminação de Fake News. 

Reconhecimento Facial 

Uma outra sugestão é o reconhecimento facial, com o número do CPF, dos usuários das redes sociais, para que, caso ele esteja repassando alguma informação falsa, possa sofrer punições da rede social, até mesmo ser banido.  

Compartilhar