Aécio Neves deve ser investigado pela Operação Lava-Jato sob acusação de corrupção

Em 2014, Aécio disputou a Presidência da República (Foto: Reprodução)

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve passar a ser investigado formalmente na Operação Lava Jato depois de ter sido acusado de receber propina na delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) que o acusa de ser beneficiário de corrupção em Furnas. A revista Época obteve acesso aos papéis apreendidos em operação da Polícia Federal. Os documentos revelam que doleiro abriu conta secreta da família em Aécio Neves em Liechtenstein.

Em um dos termos de sua delação premiada, o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) afirmou que o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), recebeu propina de Furnas, empresa de economia mista subsidiária da Eletrobrás.

Ainda sobre o tucano, Delcídio relatou um caso na CPI dos Correios, que investigou o mensalão, no qual Aécio teria atrasado o envio de dados do Banco Rural para retocar as informações. “A maquiagem consistiria em apagar dados bancários comprometedores que envolviam Aécio Neves, Clésio Andrade, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Marcos Valério e companhia”, afirmou.

O caso ainda será analisado pelos procuradores do grupo de trabalho da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República. Para os investigadores, o caso envolvendo a CPI é o mais grave envolvendo Aécio e deve ser o principal alvo do grupo de trabalho da Lava Jato na PGR.

Mentira

Em nota, o senador Aécio Neves chama de “falsas” e “mentirosas” as citações que Delcídio fez a ele em sua delação premiada. O tucano rebate uma a uma as declarações de Delcídio. Ele diz que o petista lança mão de histórias que “não se sustentam na realidade e se referem apenas a ‘ouvir falar ‘ de terceiros”.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp