800 servidores da saúde são exonerados pela Prefeitura de João Pessoa

O secretário de articulação política, Adalberto Fulgêncio (PSD), porta-voz do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), admitiu a exoneração de centenas de servidores da secretaria de saúde do município de João Pessoa.

De acordo com ele, 800 servidores contratados foram exonerados nesta quarta-feira (30) por recomendação do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Fulgêncio afirmou que o inchaço de servidores na saúde pública da capital é decorrente da gestão da ex-secretária Roseana Meira, no governo do então prefeito Ricardo Coutinho (PSB). “O SUS é financiado pelas três esferas. Diversos serviços foram ampliados em João Pessoa sem planejamento e isso abarrotou o setor. Roseana Meira fez contratações e aumentou o número de pessoal sem a pactuação e a contra partida financeira dos governos, municipal, estadual e federal. A rede foi ampliada de forma extraordinária, sem preocupação com o fator financeiro”, declarou o secretário.

Adalberto também revelou que a medida tomada nesse momento foi feita respeitando a decisão do TCE. “A prefeitura recorreu da decisão, mas o recurso não foi aceito, por isso tivemos que diminuir o quadro para manter os serviços, e isso a gente lamenta”, afirmou.

Com relação aos serviços de urgência buco-maxilo-facial que também foram extintos na quarta-feira (30), Adalberto justificou que os atendimentos foram suspensos porque não fazem parte da pactuação da instituição, e são de responsabilidade do Hospital de Emergência e Trauma Humberto Lucena, gerido pelo Governo do Estado. “O Trauminha recebe recursos municipais, estaduais, e federais para tratar de toda a traumatologia e ortopedia de baixa e media complexidade, ou seja, do cotovelo pra baixo, e do joelho pra baixo. Já os serviços de cirurgia buço maxilar devem ser realizados no Trauma da BR”. Ele disse ainda que apesar de o CEO Torre não realizar procedimentos cirúrgicos de media e alta complexidade na face, urgências odontológicas serão atendidas no local, que funciona 24 horas e esta capacitado para realizar esse tipo de serviço.

O secretário afirmou que ninguém deixará de ser atendido e que todos os serviços essenciais continuam a disposição da população. “Nós temos uma rede de atenção à saúde em João Pessoa, essa rede tem um equipamento muito importante que é o Trauminha. O Ortotrauma tem um perfil, ele não vai se negar a atender esse perfil, mas é necessário que se tenha uma rede no Estado para que se desafogue o Trauminha”, disse Fulgêncio.

Adalberto afirmou ainda que as parcerias entre os poderes têm ajudado a melhorar o quadro da saúde na capital, e ainda ressalta que o governo repassado recursos para as UPAs, gesto que comprova essa pactuação. “A situação tem melhorado depois de algumas pactuações. Não estamos fazendo aqui uma luta política. Estamos dando racionalidade aos serviços de traumatologia do município de João Pessoa e com isso temos melhorado o atendimento no Ortotrauma”, finalizou.

Redação

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp