Adriano Galdino: “Pocinhos teve um arrastão de compra de votos”

Imagem: Divulgação

O deputado estadual Adriano Galdino (PSB) disse que a cidade de Pocinhos, de onde ele é, teve um “arrastão de compra de votos”, se referindo ao caso do atual prefeito Cláudio Chaves (PTB), que teve o mandato cassado. Adriano concedeu entrevista à rádio Esperança AM nesta sexta-feira (27).

Ele disse que espera a Justiça resolver o caso em segunda instância, depois que o acusado e sua vice-prefeita, Maísa Apolínário (PMB), recorreram da decisão no último dia 17. “É um desmantelo sem precedentes. A cidade está com os índices caindo, econômicos, sociais e de credibilidade política por causa desse caso. Mas quem é de lá sabe quem fez uma campanha limpa e não venceu pela força da compra de votos”, desabafou.

O deputado lembrou que está de licença não remunerada da Assembléia Legislativa para fazer visitas às bases, iniciando trabalhos da pré-candidatura como deputado federal. “Estou encontrando com prefeitos, lideranças e isto tem sido um ótimo exercício. Sábado (28) estarei em Santo André e Aroeiras. No domingo (29) estarei em Lagoa Seca. Estou aproveitando esse período e dialogando com gestores, para que possa cada vez mais conhecer as realidades, de acordo com interesses da população”, falou.

Crescimento – Os radialistas Heleno Lima e Aílton Araújo citaram que o deputado está sendo bem cotado nas pesquisas para as Eleições deste ano. Adriano considera que está no lugar certo, tentando uma reeleição como deputado. “Devo deixar bem claro que João Azevedo tem muito mais preparo que eu ou qualquer outro. Eu não fui secretário de Ricardo, que era esse o perfil para esta posição. João é o homem que tinha essa missão no governo, de pensar, planejar e executar a Paraíba”, disse.

Adriano falou ainda que as obras pensadas pelo executivo melhoraram a qualidade de vida dos habitantes do Estado. “A Paraíba continua no equilíbrio fiscal e financeiro. É por isso que eu defendo esse projeto do PSB, para construir esse Estado cada vez mais justo. Muitas dessas estradas construídas neste governo foram pro Cariri. Eu luto pela de Taperoá e Pocinhos, além de outras. Algumas estradas não foram concluídas por causa da falta de recursos do Ministério das Finanças, mas isso está sendo trabalhado para ser liberado ainda este ano”, concluiu.

Valdívia Costa do PB Debate

Veja também: Eduardo Cardoso: “existem recursos para tirar o Lula da prisão”

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp