Adriano vai à Feira Central e comprova problemas relatados pelos comerciantes

21

Na Feira Central de Campina Grande, o pré-candidato a prefeito, Adriano Galdino (PSB) conversou nesta sexta-feira (15), com vários comerciantes sobre a situação de uma das áreas mais tradicionais da cidade e referência no Nordeste. Após ouvir feirantes de vários segmentos e faixas etárias, o pré-candidato participou de um café da manhã com lideranças e correligionários e recebeu várias demandas e saudações de apoio.

ADRIANO GALDINO NA FEIRA CENTRAL

Apesar da importância, o mercado central sofre com falta de estrutura e segurança, capacitação, além da falta de um matadouro público, de estacionamento para atender os clientes e enfrenta uma das maiores crises das últimas décadas. Vários feirantes deixaram de comercializar no local e alguns só vêm aos boxes e bancas aos sábados.

 

Nos escombros do antigo Eldorado, uma família de sem-teto formada por 10 pessoas residem há mais de dois anos. As ruas são esburacadas e as principais vias de acesso obstruídas por caminhões de carga e outros veículos que estacionam irregularmente e não sofrem qualquer punição.

As esburacadas são perigosas para a circulação de idosos e não há qualquer tipo de acessibilidade para pessoas com deficiência. Nas principais vias de acesso é comum a entrada de motocicletas e até veículos de pequeno e médio porte, no meio da feira oferecendo risco a comerciantes e consumidores. Para piorar a situação, caminhões de carga estacionam indiscriminadamente e obstruem os acessos.

Os boxes estão visivelmente deteriorados, alguns com estrutura comprometida e oferecendo risco aos frequentadores. Nos últimos oito anos, as gestões anteriores apresentaram dois projetos arquitetônicos que passaram por processo de licitações, mas nenhum chegou a sair do papel. Nos dias de maior fluxo, o contingente de comerciantes fixos e flutuantes da feira é de 6 mil pessoas.

Compartilhar