Aécio diz que perda do grau de investimento é ‘caos anunciado’

Presidente nacional do PSDB – principal partido da oposição –, o senador Aécio Neves (MG) classificou nesta quinta-feira (10) a perda do grau de investimento do Brasil de “caos anunciado”. Em uma entrevista coletiva no Senado, o parlamentar tucano afirmou que a responsabilidade pelo rebaixamento brasileiro é “exclusivo” da presidente Dilma Rousseff.

Nesta quarta (9), a agência de classificação de risco Standard and Poor’s (S&P) retirou o grau de investimento do Brasil na classificação de crédito. A nota do país foi rebaixada de “BBB-” para “BB+”, com perspectiva negativa. No comunicado em que informou a decisão, a agência apontou como causas da decisão de rebaixar a nota brasileira a deterioração fiscal do país e a falta de coesão da equipe ministerial de Dilma.

“Nós estamos, como todos os brasileiros já percebem, vivendo o caos anunciado. E, diferentemente, do que diz a presidente, anunciado há muito tempo. A presidente quer passar a impressão de que só soube do agravamento da crise após as eleições. Isso, mais uma vez, não é verdade. Falta com a verdade a presidente da República”, disse Aécio na entrevista.

Segundo o senador, no primeiro semestre de 2014, já havia uma queda de receita em comparação com o mesmo período do ano anterior. Para ele, essa defasagem fiscal justificaria uma reorganização das despesas públicas. “O que fez a presidente da República? Ampliou os gastos”, ironizou.

Na avaliação de Aécio, mesmo diante dos primeiros indícios da crise econômica, Dilma não quis perder popularidade “para vencer as eleições”.

“A responsabilidade exclusiva pela situação que passa o Brasil, que irá se agravar a partir deste rebaixamento, é de responsabilidade exclusiva da presidente”, ressaltou o tucano.

O Brasil conquistou o grau de investimento pelas agências internacionais Fitch Ratings, Standard & Poor’s e Moody’s em 2008 e 2009, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nesta quinta, em um seminário na Argentina, Lula minimizou a perda do grau de investimento. Segundo reportagem do site do jornal “O Globo”, o ex-presidente disse, em um discurso de mais de uma hora, que o rebaixamento pela S&P “não representa nada”.

“É importante que a gente tenha em conta de que o fato de que eles [Standard and Poor’s] diminuíram o ‘investment grade’ de um país não significa nada, significa que apenas a gente não pode fazer o que eles querem — opinou Lula no evento que contava com a presença de empresários, acadêmicos, diplomatas e funcionários do governo Cristina Kirchner.

“Eu fico pensando: é engraçado, como é que eles têm facilidade para tomar medidas quando a dor de barriga é na América Latina. Ou seja, todo mundo sabe quantos países da Europa estão quebrados e eles não têm coragem de diminuir o “investment grade” de nenhum país”, complementou o ex-presidente.

Fonte: G1

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp