AGULHADAS: Delegado pode prender pelo menos dois acusados até julho

Imagem: delegado Henry / Ascom PC

A investigação sobre as pessoas feridas por agulhas no Parque do Povo aponta pelo menos dois suspeitos que podem ser presos até o fim do inquérito. O delegado da Polícia Civil, Henry Fábio, que investiga o caso, disse que ouviu 16 pessoas e mais outras serão ouvidas até o final desta sexta-feira (15), quando ele pretende realizar uma entrevista coletiva.

De sábado (9) até o momento, 34 pessoas deram entrada no Hospital de Trauma de Campina Grande com agulhadas. As imagens das câmeras de segurança, a empresa Aliança e a empresa Força Alerta estão ajudando na identificação os agressores.

“O primeiro caso em que a gente conseguiu pegar as características físicas, de uma mulher que foi atingida na perna, apontou o primeiro suspeito. Seguimos as pistas de data, horário e local fornecidos pela vítima e vamos tentando chegar à identidade”, contou o delegado.

O outro caso, é o que está mais claro e perto de se elucidar, o que um rapaz, que pediu para não ser identificado, foi imobilizado por um grupo. “Esse rapaz foi escutado hoje de manhã pela delegada Tatiana, já pedimos as imagens do local onde ele foi agredido por mais de quatro homens. É um evento mais difícil de pegar pelas imagens, devido à confusão. Pelo tempo em que ele ficou em contato com os agressores, ele poderá identificar, em algum momento, os acusados”, informou.

O inquérito foi aberto na segunda-feira (11) e deverá ser fechado no início de julho. “Estamos tentando prender os acusados até esta data, não sabemos se será possível, porque o caso já despertou a atenção de muitas pessoas, pela cobertura diuturna do caso”, concluiu.

Valdívia Costa do PB Debate

Veja também: AGULHADAS: Surgem mais casos que somam 34 vitimas

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp