Alerta de pesquisadora da PB sobre possível surto de Zika vem se confirmando

Imagem: Reprodução/Internet

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou ontem que quatro milhões de pessoas nas Américas serão infectadas pelo vírus zika. Desse total, 1,5 milhão de casos devem se dar no Brasil. A expansão é considerada “explosiva” pela Organização, que realizou na manhã de ontem um encontro com os países-membros em Genebra, na Suíça, para discutir a epidemia. Pesquisadora paraibana já alertou sobre possível surto da neste ano de 2016.

A expansão das infecções no Brasil repercutem no exterior principalmente em função das Olimpíadas, que ocorrem em agosto, no Rio de Janeiro. O jornal norte-americano New York Times, publicou ontem em seu portal na internet que há risco de o zika se espalhar para o mundo a partir do evento, que deve trazer ao país até de 500 mil pessoas, segundo estimativa da Embratur.

Na próxima segunda-feira, um comitê de emergência da OMS se reúne para discutir a epidemia de zika. A OMS analisa se a epidemia do vírus se configura como emergência em saúde pública de importância internacional, como foi a do ebola no ano passado.

Segundo a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), desde o ano passado, 23 países e territórios americanos notificaram circulação autóctone do vírus — o Aedes aegypti só não está presente no Chile e no Canadá.

“O vírus irá para todos os lugares onde o mosquito está”, afirmou Marcos Espinal, diretor do departamento de doenças transmissíveis da Opas. De acordo com a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, o perfil de risco do vírus passou de uma ameaça leve para uma de proporções alarmantes. Preocupam também a falta de imunidade da população ao zika, a falta de vacinas, de tratamentos específicos.

Paraíba – O ano de 2016 pode ser “caótico” no Brasil por causa da proliferação do zika vírus . Essa foi a previsão da médica paraibana Adriana Melo, especialista em medicina fetal e responsável pela iniciativa que acabou confirmando a associação entre o aumento no número de casos de microcefalia com a zika, inédita na medicina no Brasil. Segundo ela, não combater o mosquito vai acarretar problemas que vão além da malformação que vem afetando os fetos.

“De acordo com as pesquisas e os prognósticos feitos por nós, entre fevereiro e março do ano que vem todos os mosquitos Aedes aegypt poderão ter o vírus da zika. Atualmente, nem todo mosquito porta o vírus, mas com o passar do tempo vai ter a proliferação, caso não sejam tomada medidas drásticas. Parece que a população ainda não se deu conta da gravidade da situação”, afirmou a especialista.

Faz mais de um mês que o governo federal declarou estado de emergência por conta do crescimento no número de casos de microcefalia no país. Desde então, o número de notificações na Paraíba cresceu de nove casos no dia 12 de novembro para 316 notificações até este inicio de janeiro sendo que em 40 deles a microcefalia foi descartada.

Redação

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp