Após comerem peixe contaminado, cinco pessoas da mesma família são hospitalizadas na Paraíba

120
Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

Cinco pessoas da mesma família foram hospitalizadas após comerem peixe contaminado, em João Pessoa. A família foi diagnosticada com a síndrome de Haff, doença que causa o escurecimento da urina e provoca dores intensas em todo o corpo. A síndrome é causada por uma toxina presente na carne de peixes e crustáceos contaminados. De acordo com os pacientes, eles foram contaminados após comerem uma moqueca feita com um peixe chamado arabaiana, no dia 10 de julho. Uma das pessoas contaminadas chegou a passar nove dias internada. Segundo um paciente, os sintomas começaram logo após a ingestão do peixe.

A chef de cozinha Carol Morais explicou que foi a última a sentir os sintomas e chegou a pensar que era psicológico. “Mas as minhas pernas já começaram a doer muito, como se fosse uma câimbra, uma dor forte, de cima abaixo”. E no mesmo dia, os sintomas ficaram mais fortes. “Perdi minhas forças, fiquei sem sentir os membros”, relatou. Além das dores musculares fortes, a urina escura foi outro sintoma percebido pelos afetados pela síndrome.

Segundo a nefrologista Daniely Rabelo, a doença trata-se de uma síndrome onde há destruição das fibras musculares e liberação de várias substâncias, entre elas, algumas que podem levar até lesão renal aguda. “Alguns sinais e sintomas são evidentes. O paciente pode sentir desde uma fraqueza, até uma dor. Como também uma rigidez muscular e mudança na coloração da urina, desde vermelha até uma bem escura”, explicou. Ainda conforme a especialista, desde os primeiros sintomas, os pacientes devem procurar o hospital, onde terão o tratamento correto, que pode ir de uma hidratação até a hemodiálise a depender da gravidade.

Redação Paraíba Debate com G1PB

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp