Ato em apoio ao PT ocupa ruas de várias cidades e lota Avenida Paulista

Protesto pró governo da presidente Dilma Rousseff e em defesa do ex presidente Luis Inácio Lula da Silva e da Democracia, em São Paulo (SP), nesta sexta-feira (18). Concentração no vão livre do Masp, na Avenida Paulista. J. Duran Machfee/Futura Press

A manifestação contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff ocupa cerca de oito quarteirões da Avenida Paulista, no centro de Sãoo Paulo. Às 17h30, os participantes, predominantemente vestidos de blusas vermelhas, ocupavam desde a Rua da Consolação até a Avenida Brigadeiro Luís Antônio.Várias lideranças discursam, do alto de carros de som, ao lado do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

A palavra de ordem mais gritada na manifestação, convocada pela Frente Brasil Popular, é “não vai ter golpe”, repetida por locutores que falam ao microfone nos intervalos do show do cantor Chico César, que anima os presentes. A organização confirmou a presença do ministro da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva no final do ato, por volta das 19h30.

O presidente da CUT criticou alguns veículos de comunicação e o juiz federal Sérgio Moro. Segundo Freitas, está sendo construída no país uma “ditadura de toga e um golpe contra a democracia”.“ Moro está dando entrevistas provocando o ato que está aqui, juiz é para julgar, não é para ser ator, não é para ser entidade política. Nós somos contra a ditadura da toga, elegemos pessoas para nos representar. Quem quer ter o direito de representação que dispute as eleições. É muito ruim que você tenha uma parcela da mídia e uma parcela do Poder Judiciário construindo um golpe contra a democracia”.

Fonte: Terra

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp