Autoridades se reúnem para discutir soluções para crise hídrica em Campina

A força-tarefa do Ministério Público da Paraíba (MPPB), criada em dezembro do ano passado para fiscalizar a segurança hídrica no estado, promove nesta quinta-feira (9), às 14h, na sede do Ministério Público em Campina Grande, uma reunião para discutir sobre a situação das cidades que dependem do Açude de Boqueirão, como Campina Grande.

Foram convidados para essa reunião em Campina Grande os promotores de Justiça de Boqueirão e de Campina Grande (Promotorias de Justiça do Meio Ambiente e da Saúde); professores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e representantes da Agência Executiva de Gestão de Águas da Paraíba (Aesa) e da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa).

Em dezembro do ano passado, a força-tarefa foi criada pelo MPPB, com a participação de órgãos do Estado e de prefeituras, para acompanhar e fazer cumprir as decisões que forem tomadas pela Agência Executiva de Gestão de Águas da Paraíba, pela Agência Nacional de Águas (ANA) e pelo Comitê da Bacia Piancó-Piranhas-Açu, com o objetivo de preservar o abastecimento de água pelo Sistema Coremas-Mãe D’água. De lá para cá, esses órgãos têm traçado estratégias relacionadas à segurança hídrica do estado, visando o combate ao furto e ao desvio irregular de água de adutoras e de reservatórios na Paraíba.

Tendo à frente o procurador-geral de Justiça, Bertrand de Araújo Asfora, a força-tarefa é coordenada pelo promotor de Justiça Alcides Leite de Amorim, que integra o Fórum Nacional de Recursos Hídricos, vinculado à Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Ainda compõem a força-tarefa os promotores de Justiça Alexandre José Irineu e Cláudia Cabral Cavalcante.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp