Câmara de Campina Grande aprova voto de repúdio contra Jair Bolsonaro

A Câmara Municipal de Campina Grande “Casa de Félix Araújo”, aprovou nesta quinta-feira, 5, voto de repúdio ao deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O requerimento foi protocolado pelo vereador Napoleão Maracajá no dia 19 de abril e teve como justificativa a incitação à violência, ditadura e às práticas preconceituosas.

Ao votar pelo encaminhamento do impeachment da presidenta Dilma Rousseff para o Senado, Bolsonaro dedicou seu posicionamento aos “militares de 64” e citou o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do Destacamento de Operações de Informação-Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), responsável por torturas durante o período da ditadura civil-militar (1964-1985).

Em reação, diversos internautas se posicionaram em repúdio. “Bolsonaro citou torturador de Dilma e vai sair pela porta da frente, de mãos dadas com Cunha, cantando o hino nacional”, afirmou uma eleitora via twitter. Também pela rede social, a ex-candidata à Presidência pelo Psol Luciana Genro compartilhou os dizeres de outra mulher afirmando: “Bolsonaro tem que ser preso depois do que disse. Não é possível passar impune o elogio a torturadores do período ditatorial”.

O vereador Napoleão Maracajá repudiou veementemente tal discurso por parte do deputado federal, ele acha um absurdo que nos dias atuais ainda existam pessoas que defendam um período negro da história do Brasil, que deve ser lembrado como lição do que não deve ser reeditado e não lembrado como uma época a ser e enaltecida em um momento tão delicado em que passa o país.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp