Câmara de CG aprova manutenção de vetos do executivo e oposição questiona parecer da procuradoria

A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou ontem pela manhã por maioria,  a manutenção dos quatro vetos do Executivo a projetos de vereadores da bancada de oposição.  Os projetos foram aprovados por unanimidade pela Casa de Félix Araújo nos últimos meses e são de autoria dos vereadores Napoleão Maracajá (PC do B) e Galego do Leite (PTN). O líder da oposição, vereador Murilo Galdino (PSB) disse os pareceres não tem base nos textos dos projetos e que a bancada de oposição pode estar sendo vitima de retaliação política.

Num dos projetos do vereador Galego do Leite que foi vetado, ele fixa o intervalo mínimo de três dias entre a homologação do reajuste da tarifa de ônibus e a sua cobrança aos usuários de coletivo.  “No veto que recebemos o parecer fala num prazo de 10 dias entre o reajuste e a sua efetiva vigência e não foi esse o texto que aprovamos. O mais absurdo é que na justificativa,  a Procuradoria diz que o legislativo não tem competência para legislar sobre aumento dos servidores públicos. O que uma coisa em a ver com a outra, quem está propondo aumento neste projeto?. Será que estão vetando por vetar e não chegam sequer a ler os projetos”

Em outros dois vetos, o executivo barrou um projeto autorizativo também do vereador Galego do Leite, que previa o IPTU Verde, um desconto aos imóveis revestidos de vegetação arbórea de preservação permanente, até o limite de 15%, aplicado de acordo com o número de árvores existentes na calçada do imóvel. O presidente da Câmara, vereador Antonio Pimentel Filho chegou a dizer que era favorável a derrubada do veto, mas os vereadores de situação o mantiveram.

Para o líder do PSB, vereador Murilo Galdino, os vereadores mudaram de opinião rapidamente.

“O pior de tudo é que os colegas vereadores que votaram em favor dos projetos mudaram de ideia de repente. Acho isso um absurdo, porque não estamos aqui para perder tempo e nem enganar a população”, desabafou.

Os vereadores também mantiveram o veto a um projeto do vereador Napoleão Maracajá que prevê a criação de bicicletários nas escolas públicas e privadas de Campina Grande. “Esse projeto beneficia os estudantes que usam bicicletas e rede públicas são muitos e também para incentivar seu uso, não sei como uma Prefeitura que vem tentando implantar um sistema de ciclovia rejeita um projeto desta natureza. Parece que estão rejeitando as proposituras pelo autor e não pela relevância”, declarou o líder da oposição Murilo Galdino.

Em sua fala o vereador Galego do Leite disse que da próxima vez, os vereadores reprovassem os projetos aprovados de uma vez. “Os vereadores precisam ser coerentes e saberem o que querem. Se é para manter os vetos do prefeito Romero Rodrigues que não os aprovem antes porque isso gera uma expectativa”, disse.

 Redação.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp