Ciro sugere ‘sequestrar’ Lula até uma embaixada se prisão do ex-presidente for decretada

2
O pré-candidato pelo PDT, Ciro Gomes, esteve muito perto de fechar acordo com o Centrão

O pré-candidato para a disputa à Presidência da República em 2018, pelo PDT, o ex-ministro Ciro Gomes concedeu uma entrevista nesta segunda-feira (27) na qual afirmou não descartar a possibilidade de um gesto extremo de “solidariedade pessoal” com o ex-presidente Lula. Ciro afirmou que se o juiz Sérgio Moro ou outra autoridade decretar a prisão do ex-presidente em uma situação que ele considere “fora das regras do estado democrático de direito”, ele pode formar um grupo de juristas, “sequestrar” o ex-presidente e levá-lo a uma embaixada com pedido de asilo para que ele possa se defender “de forma plena e isenta”.

— Pensei: se a gente formar um grupo de juristas, a gente pode pegar o Lula e entregar numa embaixada. À luz de uma prisão arbitrária, um ato de solidariedade particular pode ir até esse limite. Proteger uma pessoa de uma ilegalidade é um direito — disse Ciro.

O ex-governador do Ceará disse que a ideia surgiu na época em que o ex-presidente foi conduzido coercitivamente pela Polícia Federal para depor em São Paulo. Segundo o ex-ministro e ex-governador, essa medida pode ser pensada, “dependendo da qualidade da decisão” da Justiça em relação ao ex-presidente.

— Hoje, não enxergo motivos para uma prisão de Lula, embora eu esteja muito irritado com sua frouxidão moral. É obra dele a criação dessa linha sucessória que ai está. Quem criou esse monstro Eduardo Cunha foi Lula — disse Ciro.

Com informações de O Globo

Compartilhar

Enquete

Você é CONTRA ou A FAVOR de encerrar a quarentena do COVID-19?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp