BRASÍLIA: Colégio demite orientador religioso flagrado fazendo sexo em parque público

A direção de um tradicional colégio Católico de Brasília demitiu um orientador de ensino religioso flagrado fazendo sexo com grupo de pessoas, ao ar livre e em plena luz do dia, e, um parque da cidade. O Código Penal Brasileiro (CPB) define a prática de obscenidade em lugar público ou exposto ao público como crime. A detenção pode variar de três meses a 1 ano, além do pagamento de multa.

A escola recebeu denúncias de pessoas que reconheceram o profissional a partir do porte físico dele. Em geral, os homens transam sem se preocuparem em serem vistos no local. Os frequentadores, muitas vezes, não se conhecem. Circulam pelos estacionamentos 1 e 2 à procura de parceiros e mantêm relações nos automóveis e gramados, a 50 passos da ciclovia e pista de caminhada.

Ao confirmar que se tratava do orientador, a escola imediatamente o abordou sobre o assunto. O funcionário acabou admitindo ser ele. O estabelecimento de ensino resolveu demiti-lo por justa causa ao considerar a conduta dele, que lidava com crianças de sete a 12 anos, incompatível com os valores pregados pela instituição. Ele dava aulas de canto e iniciação religiosa a meninos e meninas.

Os nomes da escola e do funcionário não serão divulgados para preservar as crianças.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp