Com bíblia na mão, acusado de matar Lorrayne se diz arrependido e faz greve de fome

158
Imagem: Reprodução

Já está na Paraíba o acusado de assassinar a modelo Lorrayne Damares da Silva, 19 anos. Kennedy Ramon Alves Linhares, de 32 anos, foi transferido para João Pessoa no fim da manhã desta terça-feira (22). Uma equipe de Policiais Civis paraibanos buscou o suspeito na 1ª Delegacia Territorial de Eunápolis, onde ele estava custodiado desde o último sábado (19), quando foi preso na BR-101.

Imagem: Reprodução/Polêmica Paraíba

Com uma bíblia na mão e fazendo greve de fome, Kennedy assim que chegou ao Estado disse estar arrependido do que fez. Questionado sobre o motivo de matar e ocultar o corpo da modelo campinense, o acusado se limitou a dizer que “não era para acontecer”.

O crime

De acordo com a polícia, Kennedy e Lorrayne mantinham um relacionamento conturbado que já durava três anos. No mês passado, eles decidiram pôr um fim na relação e a modelo viajou. No entanto, eles permaneciam se comunicando. No dia 12 de dezembro, o acusado buscou a jovem no aeroporto de João Pessoa e a levou para uma casa de veraneio em Lucena, a cerca de 24 quilômetros.

Ao ser preso, o ex-namorado confessou o crime e disse que após mata-la, iria levar o corpo para Campina Grande, mas ficou com receio de ser parado pela PRF e resolveu jogar o corpo na BR-230, às margens do Rio Paraíba. Ainda de acordo com o delegado, eles estavam separados, mas mantinham contato.

Os dois se conheceram quando ela tinha 16 anos. O homem tem histórico e prisão pela Lei Maria da Penha. Sobre os R$ 8 mil, o delegado disse que ela trouxe o dinheiro para fazer uma cirurgia estética. Quando foi em preso, o motorista por aplicativo informou que foi contratado pelo suspeito por R$ 8 mil para deixá-lo na cidade de Eunápolis, na Bahia.

Acesse também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp