Com roupa de detento na capa da Veja, Lula abre processo contra a Abril

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é personagem de capa da edição 2450 da revista Veja veiculada nesta semana. Com a chamada “Os chaves de cadeira que cercam Lula”, a publicação criou montagem que mostra o petista vestido com roupa de detento. A reportagem rendeu processo. As informações são do Instituto Lula, que divulgou a ação contra o impresso.

O instituto relata que os advogados do ex-presidente protocolaram na terça-feira, 3, ação de reparação por danos morais. O argumento usado é que a edição da Veja chegou às bancas com “montagem mentirosa, ofensiva e grotesca do rosto de Lula sobre corpo vestido com uniforme de presidiário estampado com nomes de envolvidos em investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal”. O texto afirma que a capa pretendeu sugerir algo que não tem qualquer “lastro na realidade fática ou jurídica”.

“Independentemente das afirmações e críticas contidas no interior da própria revista — sempre com evidente manipulação e falta de critério jornalístico —, não poderia ela estampar em uma capa uma imagem falsa e ofensiva, como se verifica no vertente caso”, diz o texto da ação. O processo pede R$ 60 mil de indenização e ainda apresenta como agravante a questão da publicidade. “A exibição da imagem não se deu apenas nas bancas de revistas, mas também em pontos de publicidade espalhados pelo país, reafirmando a intenção da revista de denegrir [sic] a honra e a imagem de Lula”, informa a defesa do político.

A reportagem principal da revista da Editora Abril afirma que Lula “sempre escapou dos adversários, mas quem o está afundando agora são parentes, amigos, petistas e doadores de campanha investigados por corrupção”. Os outros destaques são: “Einstein – Há 100 anos o gênio desenhou a gravidade, a mais misteriosa das forças da natureza” e “Nutrição – Comer bacon, salsicha e presunto provoca câncer? A Organização Mundial da Saúde gerou pânico ao dizer que sim”.
Comunique-se

Compartilhar