CPI: Delcídio diz que irmão de Veneziano cobrava “pedágio” aos empresários

O ex-líder do governo no Senado Delcídio Amaral (PT-MS), afirmou em um de seus depoimentos no âmbito da delação premiada, que o irmão de Veneziano; o atual ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rego, e outros senadores cobravam “pedágio” de empresários para que eles não fossem convocados para depor na CPI da Petrobras, encerrada em 2014.

De acordo com Delcídio, as reuniões incluíam o presidente e o vice da CPI, os então senadores Vital do Rêgo (PMDB-PB) e Gim Argello (PTB-DF), bem como os deputados Marco Maia (PT-RS) e Fernando Francischini (SD-PR).

Esses encontros, liderados pelo empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, também contava com a participação dos empresários Júlio Camargo (Toyo Setal), Ricardo Pessoa (UTC) e José Antunes Sobrinho (Engevix), entre outros. “Nessas reuniões, os parlamentares pediam dinheiro para os empresários em troca da derrubada dos requerimentos”, diz trecho da delação. Os três empresários citados foram condenados por Sergio Moro e cumprem regime semiaberto ou prisão domiciliar.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp