“Criamos um país de ricos delinquentes, um sistema judicial que não funciona e faz as pessoas acreditarem que o crime compensa”, disse Barroso ao negar habeas corpus de Lula

Imagem: STF

O ministro José Roberto Barroso foi o quarto a votar no julgamento do habeas corpus pedido para o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Ele foi o terceiro a denegar a ordem e afirmou que o STJ não cometeu ilegalidade ou abuso de poder ao analisar o habeas corpus pela defesa do ex-presidente Lula.

Fachin: Ministro relator da Lava-Jato vota contra habeas corpus do ex-presidente Lula

Gilmar: Ministro Gilmar Mendes vota a favor de Lula

Alexandre: Ministro Alexandre de Moraes vota pela prisão de Lula

Barroso  salientou que apenas entre 2009 e 2016 o STF entendeu que a execução da provisória da pena não era possível. “Este não é o país que eu gostaria de deixar para os meus filhos”, enfatizou, se referindo à corrupção na política.

Com um discurso empolgado e com recortes das falhas da Justiça em várias instâncias, Barroso fez todos refletirem sobre o caso. “Criamos um país de ricos delinquentes. Um sistema judicial que não funciona faz as pessoas acreditarem que o crime compensa”, disse.

Valdívia Costa do PB Debate com TV Justiça

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp