Cunha teria cobrado propina de R$ 52 milhões

O presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), teria pedido R$ 52 milhões em propinas para liberar verbas do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) para empresas e recebido valores em contas até agora desconhecidas na Suíça e em Israel.

A suspeita, baseada no depoimento de dois delatores, consta de documentos da Procuradoria-Geral da República revelados pelo site da revista Época.

Conforme a reportagem, Ricardo Pernambuco e Ricardo Pernambuco Júnior, da empreiteira Carioca Engenharia, que fizeram acordo de delação premiada, disseram ter transferido valores para o deputado.

A Procuradoria-Geral da República, de acordo com a revista, juntou provas de pagamentos de R$ 52 milhões em propina.

*Com informações de época.com e estadão.com

Compartilhar