Deputada diz que querem derrubar a presidente Dilma por não atrasar o bolsa família

Foto: Reprodução

A deputada estadual, Estela Bezerra (PSB) comentou sobre os “crimes” pelos quais ela afirmou que a presidente Dilma Roussef (PT) está sendo acusada. Para a socialista, a mandatária do país está sendo acusada de não atrasar bolsa família, construção de habitações populares e Fies-crédito educativo para baixa renda.

“Que país estamos vivendo? que tempo é esse? A presidente eleita pelo voto está sendo vítima de processo de impeachment, porque a acusam de não atrasar o bolsa família, habitações e Fies”.

As pedaladas fiscais, segundo o Tribunal de Contas da União foram causadores de um crime previsto em lei e de punição, e é a base para o pedido de impeachment formulado pelo ex-petista Hélio Bicudo e que foi acatado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) para análise do Congresso Nacional.

“Pedalada fiscal” é o nome dado à prática do Tesouro Nacional de atrasar de forma proposital o repasse de dinheiro para bancos (públicos e privados) financiadores de despesas do governo com benefícios sociais e previdenciários como o Bolsa Família, abono salariais e o seguro-desemprego.

Esses atrasos ajudam a fechar as contas de um determinado mês ou até de um ano fiscal, uma vez que joga a conta para o período seguinte. As “pedaladas” também podem acontecer com autarquias, como o INSS. Segundo o TCU, cerca de 40 bilhões de reais estiveram envolvidos nessas manobras entre 2012 e 2014.

Segundo a Advocacia Geral da União (AGU), esta prática ocorre desde 2000. Ou seja, desde o segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), passando pelos dois mandatos do ex-presidente Lula (PT) e o primeiro de Dilma.

Redação com PB Agora

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp