Em entrevistas, Ana Cláudia reafirma propostas para Campina Grande

35

A candidata a prefeita de Campina Grande Ana Cláudia Vital do Rêgo (Podemos-19), concedeu essa semana, uma série de entrevistas a emissoras de Rádio, e reafirmou as propostas para tornar uma Campina uma nova cidade a partir de 1º de janeiro de 2021. Ana garantiu fazer uma gestão diferenciada, voltada para a inclusão, com respeito e benefícios para todos e todas. Cuidar bem das pessoas, será uma meta a ser perseguida ao longo da gestão.

Ao participar da rodada de entrevista da CBN, Ana disse que quer ser prefeita de Campina Grande, devido a sua experiência como gestora públca perante o governo federal e estadual, onde teve todas as suas contas aprovadas; por sua formação como advogada, mas acima de tudo, por sua experiência de vida como mulher, mãe e trabalhadora e que sabe das dificuldades que as mulheres enfrentam com a tripla jornada de trabalho.

Ana Cláudia garantiu que todas as suas propostas e do candidato a vice, o Wellington Silva Barbosa (DEM), são exequívéis nos seus diversos eixos, sendo que algumas serão prioritárias na educação, na saúde e mobilidade urbana. Em relação a mobilidade urbana, ela reafirmou o seu compromisso de trazer de volta o Sistema Integrado, com a reativação do Terminal de Integração de Passageiros, e a implantação do Veículo Leve sobre Rodas (VLT). Ana lembrou que o sistema temporal implantado pela gestão atual, não atende o que  população anseia, e tem sido motivo de reclamações e insatisfações.

Ainda sobre o VLT, ela enfatizou que o transporte, rápido, confortável e econômico, vai beneficiar mais de 15 bairros da cidade e será implantado em parceria com o Governo do Estado. Ela observou que o projeto só não foi implantado devido a força de vontade da gestão atual, que obstaculou  que o sonho dos campinenses se tornasse realidade.

A candidata do Podemos esclareceu que o ex prefeito Veneziano Vital do Rêgo, deixou o projeto bem encaminhado, inclusive, com toda a parte burocrática vencida, e as cartas de anuência do BNB e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mas atual gestão que começou em 2013 e terminará este ano, não deu sequência. Ela lembrou que no ano passado, o governador João Azevedo anunciou a recuperação da linha férrea, mas o prefeito Romero novamente atrapalhou a execução do projeto. Em outra entrevista, desta vez na Cariri FM, Ana Cláudia falou sobre as propostas para o futuro de Campina Grande, especialmente para os bairros afastados da área central. Uma de suas metas, é atualizar o Plano Diretor da cidade e trazer de volta o Orçamento Participativo que é uma ferramenta importante para que a população representada, possa sugerir ações para ser implementada pela gestão pública.

Para garantir a segurança alimentar dos campinenses., Ana reassumiu o compromisso de reabrir as 9 Cozinhas Comunitárias, os dois Restaurantes Populares do Distrito dos Mecânicos e do Edson Diniz.  Com a experiência de quem comandou a Fundação Nacional de Saúde (Funasa-PB). Ela também prometeu a implantação de uma arrojada política de saneamento básico, além de concluir as obras de macro drenagem dos canais da cidade que estão abandonados, a exemplo do Canal da Ramadinha.

Ainda na entrevista, Ana Cláudia garantiu um olhar especial para a saúde do campinense inclusive, com médicos e remédios nos postos de saúde. E nesse sentido,  prometeu investir na política de reestruturação da assistência básica, com a realização de concursos públicos para fortalecer a equipe dos programas de saúde da família, além de construir unidades padrão que assegura condições dignas de trabalho e um atendimento humanizado. Ana Cláudia também concedeu entrevista a Rádio Arapuã FM onde expôs suas propostas. Durante essa entrevista, ela enfatizou que a Campina pós pandemia, exige uma gestão comprometida, preparada e experiente.

Ela reafirmou que vai juntamente com o sargento Wellington Silva, um novo modelo de gestão, que se contrapõe ao que está posto na atual gestão, marcada pela prática do nepotismo e pela contratação de pessoas por excepcional interesse público. No campo da geração de emprego, Ana detalhou como funcionará o Renda Campina, que vai transferir recursos para os campinense, e impulsionar a economia local.Ana disse que a sua gestão, vai cuidar das pessoa,  focar nos problemas pontuais, e garantir transparência no gasto dos recursos públicos, além de realizar concurso público e valorizar o servidor.

Ana também observou que o seu plano de governo, pretende fazer a total informatização dos serviços administrativos do município. A ideia da prefeitável é dotar todas as secretarias de Campina Grande de uma estrutura moderna e adequada as exigências dos tempos atuais, inclusive com a implantação de uma ouvidoria digital municipal, para fazer um acompanhamento junto a todos os órgãos da administração.

Redação Paraíba Debate com informações PBAgora /Assessoria

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp