Em evento de retomada do Empreender/PB, governador acusa Catão de ter prejudicado mais de mil pessoas

O governador Ricardo Coutinho (PSB) culpou o conselheiro Fernando Catão por prejudicar mais de 1 mil pessoas, que tiveram postergados o seu direito de receber os recursos do Empreender Paraíba para investir em novos negócios e gerar renda e movimentar a economia, sobretudo nesse período de crise por que passa o país.

A declaração ocorreu na manhã desta sexta-feira (15), durante evento de retomada do programa. Coutinho lamentou que para alguns o programa seja politizado, já que não existia em outros governos e passou a existir na gestão atual, de forma série.

“Nós estamos vivendo a maior recessão no nosso país, nós estamos às vésperas do período de maior venda, e o prejuízo que esse ato que o Conselheiro Fernando Catão produziu, promoveu, é incalculável, porque mesmo liberando hoje, tem muita gente aqui que precisava disso há um mês atrás para poder confeccionar matéria prima, para poder encomendar os produtos e vender. Essa liberação de hoje, que prestigia mais de 1 mil pessoas, com mais de R$ 6,6 milhões simboliza primeiro que nós consolidamos a ideia de que cabe ao poder público se responsabilizar pela geração de renda. Segundo que não é possível tratar um programa dessa natureza através de posturas que não são necessárias no trato de outros conflitos. Infelizmente o Empreender é campo de batalha para política, porque aqui nunca se teve isso”, disse.

Ricardo Coutinho liberou cerca de R$ 6,6 milhões em créditos do Empreender PB para mais de mil empreendedores de 54 municípios.

A concessão dos créditos marcou a retomada das atividades do programa, após suspensão por parte do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB). O evento foi realizado na Praça do Povo do Espaço Cultural, em João Pessoa e contou com as presenças de deputados e vários auxiliares, entres eles o deputado Gervásio Maia (PSB) e o secretário João Azevedo (PSB).

O governador apelou para que os políticos preservem as conquistas e lamentou a partidarização da Segurança Pública.

“Eu espero, e a única coisa que eu espero, é que quem faça política saiba preservar algumas conquistas e o Empreender é uma delas. A Segurança Pública é outra que não pode ser partidarizada. Que discuta com o Governo as ideias. A oposição não consegue produzir nada, não tem ideia, e tenta exatamente impedir as boas e excelentes ideias, modéstia à parte, que este governo teve ao longo desses anos”, arrematou.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp