Em Pocinhos, energia de prédio público é cortada por falta de pagamento

O fornecimento de energia elétrica da sede das vigilâncias ambiental e sanitária do município de Pocinhos, Curimataú do estado, foi devidamente cortada pela empresa responsável pelo fornecimento, a Energisa. O motivo para o corte foi falta de pagamento. O Serviço prestado pelos órgãos precisou ser interrompido devido à falta de energia para ligar equipamentos eletrônicos.

O presidente da câmara de Pocinhos, O vereador Sóstenes Murilo (PSB), responsabilizou o prefeito municipal, Cláudio Chaves Costa, pelo descaso.

12194000_1048906968463490_236768739_o
Presidente da câmara responsabiliza o prefeito pela suspensão da luz elétrica.

– A prefeitura não efetuou os devidos pagamentos e a luz da sede que funciona as vigilâncias sanitária e ambiental foi interrompida. Nossa saúde permanece na UTI – desabafou o presidente na sessão ordinária, realizada nesta quinta-feira (29).

Para o funcionário público Sérgio Ricardo, o corte representa descaso e desrespeito com a população.

– É lamentável nos depararmos com descaso e desrespeito gerado pelo que seria básico. É inadmissível que uma prefeitura deixe uma repartição onde funciona dois importantes órgãos sem luz elétrica há quase duas semanas – Relatou.

O imóvel é situado na Rua Padre Ibiapina, 91, no Centro da cidade. Ninguém, em nome do governo municipal, quis se pronunciar.

Da redação

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp