Enquanto oposição segue sem nome definido, governistas já discutem formação de chapa

A base política do governo, internamente, já discute a formação da chapa que será encabeçada pelo secretário de Estado, João Azevedo (PSB). Nomes para vice com origens em Campina Grande começam a ser especulados, como o da secretária da Casa Civil da Paraíba, Ana Cláudia Vital (MDB), o empresário Artur Bolinha (PPS), a deputada Daniella Ribeiro (PP) e ainda a atual, Lígia Feliciano (PDT).

Nas duas para o Senado, a chapa de Azevedo poderá ter o deputado federal Veneziano Vital (MDB) e o governador Ricardo Coutinho (PSB), este último ainda tomará um posicionamento se deixa o cargo para a disputa ou permanece no governo. Caso Coutinho fique no Executivo Estadual, o grupo terá opções como o deputado Luiz Couto do PT, os ex-senadores Wilson Santiago do PTB e Efraim Morais do DEM, além do irmão do prefeito de João Pessoa, Lucélio Cartaxo do PV.

Para as suplências, – são duas para cada candidato a senador – empresários e ex-prefeitos com forte atuação política no interior do Estado devem ser chamados para compor. A preço de hoje João Azevedo terá em sua coligação o PRB, PDT, PT, PTB, Podemos, PR, PPS, DEM, PHS, PMB, PSB, PV, PRP, PCdoB, Avante e PROS.

Já a oposição ainda não definiu um nome para representar o grupo. O prefeito da Capital, Luciano Cartaxo, era, até fevereiro deste ano, o candidato com maior viabilidade, porém, diante de falta de segurança dos apoios do bloco, retirou seu nome da disputa saindo inclusive do PSD do deputado Rômulo Gouveia para comandar o Partido Verde (PV) na Paraíba.

O senador José Maranhão (MDB) mantém, desde o ano passado, sua pré-candidatura a governador, esperando o apoio do PSDB. Os tucanos também possuem nomes para o Governo da Paraíba, são eles: Cássio Cunha Lima, Pedro Cunha Lima e Romero Rodrigues.

E, mais recentemente, o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (ainda no MDB) lançou seu nome para o governo pelo Partido Social Cristão (PSC) que lhe deu garantias de que terá legenda para concorrer ao cargo.

O bloco oposicionista possui lideranças de partidos como o PP, MDB, PSL, PSC, PSDB, PSD e Solidariedade, mas sem nomes definidos inclusive para o Senado.

As chapas porém só serão oficializadas em agosto deste ano após as convenções, evento que registra as candidaturas da majoritária e proporcional. Até lá negociações e entendimentos deverão de ambos os lados.

Gabriel Barbosa – Redação

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp