Ex-procurador iraniano é condenado a 135 chibatadas por corrupção

O ex-procurador-geral de Teerã Saeed Mortazavi foi condenado a 135 chibatadas por “desvio e desperdício de dinheiro público” quando era chefe do Fundo de Previdência Social, anunciou nesta quarta-feira a imprensa iraniana.

Mortazavi, nomeado à frente da Previdência Social no governo do ex-presidente conservador Mahmoud Ahmadinejad (2005-2013), “foi condenado a 70 chibatadas por desvio de bens públicos e 65 chibatadas por negligência e desperdício de bens públicos”, declarou Mostapha Torkhamedani, advogado dos funcionários que o denunciaram, de acordo com a agência de notícias da televisão estatal (IRIB).

Mortazavi pode recorrer da sentença.

Figura controversa, o ex-procurador-geral de Teerã teve que deixar o cargo em 2010. Em 2014 foi suspenso para sempre da magistratura por seu papel na morte em 2009 na prisão de três manifestantes durante o movimento de protesto após a reeleição de Ahmadinejad.

Em setembro passado, ele publicou uma carta expressando arrependimento e pedindo “perdão”.

Mortazavi, personalidade temida e odiada pelos reformistas e jornalistas, aprisionou muitos adversários e fechou dezenas de jornais reformistas

Seu nome também apareceu no caso da morte na prisão de uma fotojornalista iraniano-canadense, Zahra Kazemi, em 2003. Ele também é alvo de sanções dos Estados Unidos por “violações contínuas e graves dos direitos humanos” nos últimos sete anos como procurador.

Fonte: G1

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp