Inquérito contra Veneziano sobre desvio chega à Procuradoria da República

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, que é o relator da matéria, enviou à Procuradoria Geral da República, para vista, inquérito 4022 que tem como indiciado o ex-prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) e representantes de três empresas, todos respondendo por acusação e falsificação de documentos e corrupção ativa.

O objeto desse inquérito foi dos pontos investigados pela Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada pela Câmara Municipal de Campina Grande, que constatou desvio superiores a R$ 10 milhões dos cofres da Prefeitura durante a gestão de Veneziano.

O relatório final a CPI da Câmara foi enviado para a Justiça Federal, Ministério Público Federal, Policia Federal e Controladoria Geral da União, já que ficou constatado desvio de recursos federais, além de contratos firmados com empresas falidas, irregularidades em licitações e uso de mão-de-obra paga com dinheiro público em obras particulares.

Já pelo Inquérito 4022, que tramita no Supremo Tribunal Federal, em fase de vista pela PGR, a Prefeitura teria firmado contratos com as empresas Montreal, Plasfort e Flexplast. Trata-se de empresas sem endereço fixo, outra com falência decretada, que levaram cerca de R$ 6 milhões da Prefeitura de Campina Grande entre 2005 e 2006.

Um dos empresários denunciados neste inquérito, Eraldo Pereira de Vasconcelos, chegou a ser preso em Goiás, pela Policia Rodoviária Federal, em setembro de 2006, para cumprir pena naquele estado por falsificação de documento público

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp