João desafia Cartaxo e Romero para assumirem ainda este mês que deixarão as prefeituras

O secretário de Estado da Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia e pré-candidato a governador, João Azevedo (PSB), desafiou os prefeitos de João Pessoa e Campina Grande, Luciano Cartaxo (PSD) e Romero Rodrigues (PSDB), respectivamente, para que digam ainda este mês se vão deixar seus cargos para disputarem o Governo do Estado. Ao menos para ele uma coisa está certa: vai se desincompatibilizar em abril da secretaria para ser o candidato a governador pelo PSB.

“O PSB vai completar o oitavo ano como Governo da Paraíba e não apresentar a cabeça de chapa, isso seria um contrassenso. Entre 31 de março a 7 de abril, eu estarei fora da secretaria, me desincompatibilizando, colocando o nome à disposição do partido. Espero que a partir do dia 5 de agosto, o nome à disposição para população representando um projeto que nós construímos nos últimos anos. Não tenha dúvida nenhuma do que eu estou dizendo. Este é o meu cronograma e será isto que vai acontecer. Eu não sei se outros que se dizem pretensos candidatos tem condição hoje de dizer que no dia 7 de abril estará fora das suas prefeituras. Eu não acho que tenham condição ou coragem para assumir isso agora”, alegou.

De acordo com João, o desdém da oposição para com sua pré-candidatura apenas é uma maneira de mascarar a dificuldade deles formarem uma chapa. “Pelas avaliações internas que o partido está fazendo, talvez a caminhada tenha sido muito maior do que as pessoas esperavam e talvez isso esteja preocupando outras pessoas  que estão aí sem definição alguma. Esse processo começou há algum tempo atrás e que se dizia que o governo não teria nem nome para colocar. Depois o governo apresentou o nome e foi inclusive ratificado pelo congresso que teve pelo partido, e depois a oposição passa a levantar que será que está caminhando ou será que não está. Eu acho exatamente os números que foram apresentados em várias pesquisas no Curimataú, no Agreste e outras regiões que começaram a preocupar estas pessoas. Eu não tenho preocupação com o lado de lá porque eu acho que eles têm problemas demais, principalmente de formar uma chapa. O números que nós temos, graças a Deus, nos dá muita confiança”, explanou.

As declarações foram dadas durante entrevista, na tarde desta terça-feira (16), no programa Rádio Verdade, da Arapuan FM.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp