Lídia Moura afirma que foi vítima de ‘vigarice política’ do grupo Cartaxo e que teve que gritar com secretário da Prefeitura

A ex-secretária de Políticas Públicas para Mulheres de João Pessoa e presidente estadual do PMN, revelou os motivos que a levaram romper com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV). A jornalista afirmou que foi vítima de “vigarice política”.

Moura disse que o prefeito esvaziou a chapa proporcional do PMN e levou os pré-candidatos a deputado federal do partido para o Partido Verde (PV). Lídia relata que recusou se manter na gestão depois da traição, mesmo sendo pressionada pelo então secretário Zenedy Bezerra, braço direito de Cartaxo.

Lídia falou ainda que a última conversa com Bezerra foi bastante tensa e teve até que gritar para se impor. “Não somos um partido grande, mas somos um partido honrado”, destacou.

Redação com Marcos Weric

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp