Maranhão pede desculpas à PB por pedir voto para Dilma e parlamentares do Estado comemoram afastamento

3
Imagem: Maranhão / divulgação

A bancada paraibana praticamente votou fechada pelo processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Na Câmara Federal, apenas os deputados Wellington Roberto (PR), Damião Feliciano (PDT), e Luiz Couto (PT), votaram contra o impeachment. Os demais foram favoráveis a continuidade do processo. No Senado, os três senadores paraibanos Cássio Cunha Lima (PSDB), José Maranhão (PMDB) e Raimundo Lira (PMDB), também votaram a favor do afastamento da presidente por 180 dias.

Após a conclusão da votação no Senado, vários parlamentares do Estados e manifestaram sobre o processo. Aliado do vice-presidente Michel Temer (PMDB), o senador paraibano José Maranhão disse que votou a favor da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), na esperança de ver o País tomar um novo rumo. O que chamou a atenção foi o tom do discurso proferido na tribuna pelo senador, que chegou a pedir desculpas aos paraibanos por pedir votos para Dilma.

– Aproveito aqui para pedir as minhas desculpas aos eleitores da Paraíba que me ouviram e, por isso, sufragaram o nome da presidente Dilma – declarou. Ainda no discurso proferido nesta quarta-feira (11), Maranhão argumentou que há indícios suficientes para que o processo de impeachment tenha prosseguimento no Senado.

– É bem verdade que todos que votamos estamos tristes, porque não se vota num candidato sem confiar nele; não se vota num candidato sem ter a certeza de que a causa é justa – lamentou o peemedebista.

O deputado federal Wilson Filho (PTB) disse que a decisão do Senado em afastar a presidente Dilma Rousseff (PT), pelo prazo de 180 dias, devolve a esperança aos brasileiros de que o País retomará o crescimento e o desenvolvimento.

Para o parlamentar, o momento agora é de união da classe política para recuperar o Brasil.

“Participamos de um momento histórico e democrático. O Brasil já está cansado de sucessivos escândalos e da crise econômica e política. E por conta disso, não existe possibilidade da presidente continuar no poder. A população foi às ruas cobrando mudanças e essas mudanças começarão a ser feitas com a aprovação do pedido de impeachment da presidente Dilma”, argumentou o deputado.

Para o deputado, o Senado entendeu o que estava sendo cobrado pela maioria da população brasileira e que a crise econômica e política só prejudicará ainda mais o Brasil com a permanência da chefe do Poder Executivo.

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) também comemorou o resultado da votação.

Para ele, os crimes cometidos pela chefe do executivo levaram os senadores a admitirem o processo de impeachment e possibilitar que o País vivencie um novo processo de mudança política.

Pedro que é filho do senador e líder do PSDB no Senado Cássio Cunha Lima, disse acreditar que a presidente Dilma será totalmente afastada do cargo para que o Brasil possa voltar a crescer. “O Governo do PT afundou o Brasil em corrupção e desvios. É hora de ter a consciência que é preciso mudar”, reforçou.

O parlamentar lembrou ainda que um dos principais pontos no pedido de impeachment é o das chamadas “pedaladas fiscais”, que consistiu na prática de atrasar os pagamentos do Tesouro Nacional a bancos públicos para melhorar, temporariamente, a situação fiscal do País.

Compartilhar

Enquete

Você é CONTRA ou A FAVOR de encerrar a quarentena do COVID-19?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp