Marina Silva defende novas eleições e diz que Temer é responsável por crise

Candidata na eleição presidencial de 2014, Marina Silva, ex-senadora e porta-voz nacional da Rede, divulgou uma nota nesta segunda-feira (18) defendendo a aprovação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pela Câmara. Com o resultado deste domingo (17), o processo será analisado pelo Senado e pode levar a saída da presidente, que seria substituída por seu vice, Michel Temer.

Apesar de defender a aprovação na Câmara, Marina Silva criticou o vice presidente. Segundo ela, a “saída passa pelo TSE (Tribunal Superior Eleitora)”. “Nem Dilma, Nem Temer. Por uma nova eleição!”, afirma.

“A solução passa pela Justiça Eleitoral, que investiga o uso de dinheiro da corrupção para a campanha de Dilma e Temer. A Rede Sustentabilidade confia que o Tribunal Superior Eleitoral julgará com a celeridade possível as denúncias de fraude eleitoral da chapa Dilma/Temer nas eleições de 2014, devolvendo à sociedade o poder de decidir o futuro do país. Afinal, os fiadores da Operação Lava-Jato somos nós, cidadãos e cidadãs, os únicos capazes de escolher um governo com credibilidade para tirar o país da crise. O TSE precisa ter o sentido de urgência para julgar o processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer e convocar novas eleições”, afirma.

Na votação na Câmara, a Rede orientou seus quatro deputados a votarem a favor do impeachment. Miro Teixeira (Rede-RJ) e João Derly (Rede-RS) seguiram a posição do partido. Já Aliel Machado (Rede-PR) e Alessandro Molon (Rede-RJ) foram contrários ao processo.

Folha da São Paulo

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp