Michel Temer minimiza fala de Cássio: “Temos que passar adiante”

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), minimizou as declarações do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) de que Temer terá dificuldade para concluir o governo diante das suspeitas levantadas pela Lava-Jato. De acordo com reportagem de O Globo, Temer e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teriam “trocado afagos” nesta quarta-feira (21), em cerimônia de entrega do programa Minha Casa Minha Vida, com “o intuito de desfazer especulações sobre o eventual distanciamento do PSDB”.

“É natural. Se não estivermos habituados a falas dessa natureza, não conseguimos governar. Temos que passar adiante”, disse Temer sobre as declarações do senador paraibano.

‘É natural’, diz Temer sobre declaração de senador tucano

Cássio Cunha Lima afirmou em entrevista que presidente terá dificuldade para concluir o mandato

Com o intuito de desfazer especulações sobre o eventual distanciamento do PSDB, o presidente Michel Temer (PMDB) e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), trocaram afagos nesta quarta-feira durante a cerimônia de entrega de 420 unidades do Minha Casa Minha Vida, em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo. No encontro, o presidente minimizou as declarações do senador tucano licenciado Cássio Cunha Lima (PB) de que Temer terá dificuldade para concluir o governo diante das suspeitas levantadas pela Lava-Jato.

— É natural. Se não estivermos habituados a falas dessa natureza, não conseguimos governar. Temos que passar adiante.

Temer destacou o apoio do PSDB para aprovação de medidas no Congresso, como a PEC do teto de gastos. Também lembrou que há três ministros dos partidos no governo.

— Uma ou outra fala é circunstancial, momentânea, episódica, episódica, transitária. O que vale é apoio maciço que estou recebendo do Congresso Nacional e do PSDB em particular.

O presidente chamou Alckmin de “grande governador e prezado amigo”. Já o governador paulista disse que “no Brasil de hoje não há mais espaço do nós contra eles”.

— Conte conosco, presidente — disse Alckmin.

Durante o evento, os dois conversaram ao pé do ouvido.

— Tenho trabalhado para pacificar o Brasil.

Questionado em entrevista se a realização do evento em São Paulo tinha o objetivo de afastar as especulações sobre o distanciamento entre os dois, que ganharam força com a recondução do senador Aécio Neves (MG) à presidência do PSDB, Temer respondeu:

— Só não vou erguer o braço do governador Geraldo Alckmin para não criar…. (sem completar a frase).

Alckmin defenderia dentro do PSDB um distanciamento do governo federal para preservar a candidatura do partido em 2018 à Presidência da República.

No evento, Temer anunciou que os municípios serão beneficiados com repasses de R$ 6 bilhões da verba arrecadada com a multa do programa de repatriação de recursos mantidos por brasileiros no exterior.

O prefeito de Mogi, Marco Aurélio Bertaiolli, exaltou na cerimônia que houve esforço par entregar as 420 unidades do Minha Casa Minha Vida antes do Natal. Em entrevista, Temer entrou na onda do prefeito e celebrou o fato das 420 famílias beneficiadas poderem passar o Natal na casa nova.

— As pessoas que estão recebendo a sua casa na véspera de Natal. Depois de amanhã, já estão todos morando aqui, já trazem as suas coisas — disse o presidente.

Depois que as autoridades forem embora, foi anunciado ao microfone que as casas só poderão ser ocupadas no dia 28. Antes da entrada nos imóveis, é preciso que sejam realizada assembleias do condomínio.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp