MP quer indenização de prefeito por uso de carro oficial pela esposa

O prefeito de Patos Dinaldinho Wanderley foi denunciado, recentemente, pelo juiz Sérgio Murilo Wanderley Queiroga (TRE), atendendo parecer do Ministério Público Eleitoral, e instaurado o devido inquérito policial, por crime capitulado no art. 299, do Código Eleitoral.

O art.299 diz: “Dar, oferecer, prometer, solicitar ou receber, para si ou para outrem, dinheiro, dádiva, ou qualquer outra vantagem, para obter ou dar voto e para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita: Pena – reclusão até quatro anos e pagamento de cinco a quinze dias-multa.” Ou seja, no popular, compra de votos.

Além dessa ação, o prefeito também está respondendo ação penal (junto com a esposa Mirna Medeiros) por ter utilizado veículo oficial para uso pessoal. O caso ganhou imensa repercussão, por conta do acidente que envolveu Mirna, quando se dirigia, em veículo da Prefeitura, para uma localidade próxima (São Sebastião de Cacimbas), para prestar serviços pessoais.

Há poucos dias, o prefeito tentou trancar a ação penal, resultante de ação do Ministério Público, mas a ministra Maria Thereza de Assis Moura (Superior Tribunal de Justiça) negou o pedido. Segundo a ministra, não caberia este tipo de recurso, no momento atual da transição dos autos. Então, a sentença judicial foi mantida pela magistrada.

Na denúncia, o MP pede, não apenas indenização em favor do erário municipal correspondente ao valor dos danos sofridos pelo veículo sinistrado, como abertura de ação por crime de responsabilidade, através do devido processo (nº 0000332-46.2018.81).

Fonte: Blog de Helder Moura.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp