Murilo Ferreira se afasta do cargo de presidente do conselho da Petrobras

O presidente da Vale, Murilo Ferreira, pediu nesta segunda-feira licença da presidência do Conselho de Administração da Petrobras até o dia 30 de novembro. Ferreira alegou razões pessoais para seu afastamento. A Vale informou que Ferreira continua exercendo suas funções na empresa normalmente.

Segundo fontes, o pedido pegou de surpresa a direção da estatal. Um executivo próximo ao conselho afirmou que Ferreira teria se afastado para se dedicar mais à mineradora, que “estaria com um cenário mais difícil do que da própria Petrobras”.

De acordo com outra fonte do setor, porém, não se descarta que um dos motivos seria o descontentamento de Ferreira em relação ao andamento do processo de venda de ativos da companhia, principalmente em relação à oferta pública de 25% das ações da BR Distribuidora, unidade de distribuição combustíveis da estatal, aprovada em agosto.

Ferreira divergiu do conselho, sustentando que a venda só deveria ser realizada após sua reorganização. O executivo acha que seria preciso contratar profissionais com experiência em vendas no varejo e aprovar um plano de negócios para a BR Distribuidora.

Em função disso, a Petrobras cancelou a operação, que pretendia realizar até outubro, e contratou uma empresa especializada em busca de um profissional no mercado para presidir a companhia. Desde 2009, José Lima Neto está à frente da distribuidora. Fontes do mercado dizem que ele conta com o apoio do PMDB do Maranhão.

O suplente de Murilo Ferreira, Clóvis Torres, que é consultor da Vale, também vai pedir licença. Segundo a assessoria da mineradora, o objetivo de Torres é “que os demais membros do Conselho de Administração fiquem à vontade para nomear, dentre os titulares, um presidente interino”.

G1

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp