“O Parque do Povo precisa voltar a ser do povo”, diz Adriano Galdino sobre Maior São João do Mundo

Durante homenagens a artistas da música regional, na manhã desta quinta-feira, 27, o pré-candidato Adriano Galdino disse que a música nordestina precisa ser valorizada à partir de casa. Ele explicou que o Maior São João do Mundo precisa voltar a dar lugar o povo, como foi concebido pelo poeta Ronaldo Cunha Lima, responsável pela criação do Parque do Povo.

Para Adriano, o que está faltando é valorizar os artistas locais sem distinção ou acepção política e reaproximar o Quartel General do Forró para o povo. “O Parque do Povo precisa voltar a ser do povo, porque atualmente ele é dos ricos e turistas. O povão está afastado por uma série de motivos, a exemplo dos preços altos que são cobrados, das atrações, do avanço de espaços destinados à classe alta e que cada vez mais limitam a participação popular”, disse.

De acordo com Adriano Galdino, uma boa fórmula de ampliar a festa e aumentar a grandiosidade do evento, é trazer o povo de volta para comemorar os festejos juninos. “O sentido balizar do Maior São João do Mundo quando o poeta criou este belíssimo evento é trazer o povo para dentro do Parque do Povo. Mas hoje, o festejo no QG do Forró é dos ricos e o povo não se sente mais à vontade, por isso vários aspectos precisam ser repensados”, disse.

Em 2013, as mudanças do layout da festa geraram muitas reclamações, uma delas foi referente a adoção da cobrança no frontstage, reduzindo o espaço do público e propiciando espaço privilegiado para os pagantes. Na tarde de quinta-feira, 28, quando a programação oficial do Maior São João do Mundo foi divulgada, vários artistas de Campina Grande demonstraram insatisfação nas redes sociais. Bandas e forrozeiros que já participaram de outras edições estranham ficar de fora do evento e disseram que só se apresentarão na cidade porque estão agendados em festas privadas de clubes e casas de shows
.
Em 2015, muitos artistas, incluindo grandes atrações foram retirados da programação sob a justificativa de corte de gastos. Na ocasião, Lucy Alves, Zé Ramalho e Cezzinha disse que já estavam com a participação acertada, mas foram comunicados por terceiros que não integrariam a programação.

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp