Onze açudes transbordam na Paraíba; saiba quais

Açude de Tapeorá

Segundo informações do presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), João Fernandes, onze açudes já sangraram ou continuam sangrando na Paraíba em razão do grande volume de chuvas que vem caindo em praticamente. João ainda destaca que mais de 70 reservatórios se encontram em situação delicada.

“Mesmo assim, apesar das chuvas registradas desde o início de janeiro na Paraíba, 73 reservatórios dos 127 monitorados pela Aesa ainda se encontram em situação crítica, com menos de 20% da capacidade hídrica total. Destes, sete estão com 0% do volume de água. Outros 44 açudes estão com o índice hídrico acima de 20%”, afirmou.

Onze reservatórios que alcançaram a capacidade máxima em razão das chuvas do último fim de semana. Estão sangrando os açudes de Olho d’Água, em Mari; Araçagi, em Araçagi; Bom Jesus, em Carrapateira; Cachoeira da Vaca, em Cachoeira dos Índios; Cachoeira dos Alves, em Itaporanga; Cafundó, em Serra Grande; Pimenta, em São José de Caiana; São José I, em São José de Piranhas; São José II, em Monteiro; Taperoá II, em Taperoá; e Vazante, em Diamante. Outros açudes como o de Barra de São Miguel; Gramame/Mamuaba, no Conde; Jangada, em Mamanguape; e São Salvador, em Sapé, estão com mais de 90% de suas capacidades.

Os maiores açudes da Paraíba, o Coremas/Mãe d’Água, que abastece a região do Litoral, e o Boqueirão, que abastece a região do Agreste, ou seja, todas as cidades do Compartimento da Borborema, estão com capacidade hídrica considerada excelente. O Coremas/Mãe d’Água está com 101 milhões de metros cúbicos e o Boqueirão é atualmente o manancial que mais tem água na Paraíba, 119 milhões e 400 mil metros cúbicos.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp