Paciente é obrigada a comprar gaze e medicamentos para ser atendida no Hospital de Pocinhos

Prefeito Cláudio Chaves

O Hospital Municipal de Pocinhos, no Curimataú do estado, está sofrendo pela falta de materiais básicos e medicamentos. Esse é o relato do Oficial de Justiça, Manoel Catuhyte, que procurou atendimento na unidade de saúde no início desse mês e, lamentou, o caos que encontrou no setor da saúde municipal.

notaDe acordo com o Oficial de Justiça, para serem atendidos, pacientes precisam tirar do próprio bolso o dinheiro para a compra de produtos essenciais como gazes e até esparadrapos.

“Um verdadeiro absurdo! A pessoa ter que comprar material de curativo para atendimento em Hospital. É revoltante! Uma parente minha cortou a mão e nós a levamos para o hospital, ao chegar fomos logo avisados que tínhamos que comprar gaze e o esparadrapo para realizar o curativo. Tive que sair correndo para uma farmácia próxima ou então não teria atendimento”, relatou Manoel.

Ainda segundo o denunciante, que pagou quase R$ 17 reais pelos produtos indicados para serem comprados, o valor não foi o problema, e sim a falta de uma simples gaze. “Se falta até gaze e esparadrapo, imagina o resto! Os moradores estão indignados e não sabem a quem recorrer para solucionar a situação de calamidade pública na área de saúde”, finalizou o Oficial de Justiça.

O grau de desabastecimento é tão extenso e grave que compromete a segurança e coloca em risco a vida dos pacientes, ferindo a dignidade humana durante os cuidados dispensados e infringe os princípios éticos a saúde de forma global.

Informações com Portal Litoral

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp