Para Veneziano, MDB sofrerá debandada de filiados caso partido decida sair sozinho na eleição

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (MDB) afirmou, nesta segunda-feira (29), durante solenidade do Governo do Estado realizada no Palácio da Redenção, que seu desejo é permanecer no partido, mas que para isso é necessário que o senador e pré-candidato a governador José Maranhão (MDB) garanta viabilidade eleitoral para os candidatos à reeleição dos cargos legislativos em que a legenda tem titularidade. Para ele, será um suicídio político caso a legenda saia novamente sozinho nestas eleições, como ocorreu em 2014.

Segundo o parlamentar, Maranhão tem até 6 de abril para dar segurança estratégica aos demais filiados, que seria a aliança com partidos para coligação. De acordo com ele, esta condicionante não é apenas dele, mas dos demais deputados e candidatos à Câmara Federal e Assembleia Legislativa (ALPB).

“Eu não estou autorizado a falar em nome deles. Mas é público. O MDB, que tem uma apresentada candidatura ao governo legítima, que é a de José Maranhão. Isso nós não discutimos. O que a gente discute dentro do MDB é que para nós, que estamos a postular uma recondução, uma titularidade em mandato na Câmara e Assembleia, pergunto: será que isso volte a acontecer como aconteceu em 2014, momento em que o MDB saiu sozinho? Não acontece. Aquela eleição, o MDB saiu como vitorioso porque elegeu o senador José Maranhão, elegeu três deputados federais e quatro estaduais sozinho. Mas isso não se repete. Então essa preocupação minha é a mesma preocupação de André Amaral, é a mesma preocupação de Hugo Motta, com quem falei recentemente semana passada. É a mesma preocupação de André Gadelha, que é candidato a estadual”, explicou.

Ele ainda reiterou que quer permanecer no partido e que tem buscado conversar com os demais colegas medebistas para entender o que está acontecendo internamente na legenda. “Existe sim a possibilidade e condições para que nós permaneçamos. Eu conversei com Raniery (Paulino) nesse mês de janeiro e expunha para ele uma preocupação, que também é dele e de cada um dos demais outros integrantes, que é o distanciamento entre as decisões e articulações que porventura possam estar sendo tomadas em nível interno no MDB junto aos que integram esse MDB. Eu não sei o que está acontecendo. Nós não nos reunimos. Não é o meu desejo deixar o MDB, mas também não posso perder de vista que se as situações tanto como vemos em nível nacional, se repitam em nível estadual, a gente tem que optar por outras casas. Dolorosamente, caso venha a ocorrer”, refletiu.

Veja também:

Compartilhar

Enquete

Você concorda com a volta às aulas presenciais este ano?

Cotações

  • Dólar Turismo
  • Libra
  • Peso Arg.
  • Bitcoin

Denuncie pelo WhatsApp